domingo, 16 de abril de 2017

Moy Yat´s Legacy from Brazil : The Ving Tsun Experience

(Patriarca Moy Yat e Grão-Mestre Leo Imamura por ocasião de sua última visita ao Brasil)
(Patriarch Moy Yat and Grand Master Leo Imamura during his last visit to Brazil)


A relação "Si Fu - To Dai" não é só o que aparece aqui na página. Por muitas vezes, discordei de meu Si Fu ou nos "chateamos" (por falta de palavra melhor) um com o outro. Isso também é parte, ainda que na maioria das vezes, refletindo um pouco mais, tenha chegado a conclusão de que isso acontecia por não entender tão bem o que Si Fu estava propondo nesses momentos. Por falar nisso, Si Fu tem repetido insistentemente para todos, em especial para mim, sobre sempre "aderirmos", "nos apoiarmos" e "Propormos" quando algo nos for colocado, ainda que seja oposto ao nosso pensamento original ou que discordemos.
Nos momentos em que minha falta de capacidade de entender algo que Si Fu está colocando chega a grandes proporções, ele costuma usar o exemplo do "Siu Nim Do".
"Siu Nim Do" e uma sequência de movimentos ou "lista de dispositivos de combate simbólico" (chamada comumente de forma) criada por Si Taai Gung Moy Yat na primeira metade dos anos '90. À época, poucos viram potencial no que Si Taai Gung estava apresentando...  - Si Fu costuma dizer nesta parte da história: " Sabe o que Si Gung fez? Desenvolveu o Ving Tsun Experience em cima disso."

The "Si Fu - To Dai" relationship is not only what appears here on the page. For many times, I disagreed with my Si Fu  . This is also part, although most of the time, reflecting a little more, has come to the conclusion that this happened for not understanding so well what Si Fu was proposing at those times. By the way, Si Fu has consistently repeated to everyone, especially to me, about always "to adhere", "to carry" and "Proposing" when something is put to us, even if it is opposed to our original thinking or something that we disagree.
At a time when my lack of ability to understand something that Si Fu was putting on arrives to great proportions, he often uses the example of "Siu Nim Do."
"Siu Nim Do" is a sequence of movements or "list of devices of symbolic combat" (called commonly as "form") created by Si Taai Gung Moy Yat in the first half of  '90s. At the time, few saw potential in what Si Taai Gung was presenting ... - Si Fu used to say in this part of the story: "Do you know what Si Gung did? He developed the Ving Tsun Experience from the Siu Nim Do."

(Seminário do Ving Tsun Experience Nível 1 em Junho de 2011: 
Grão-Mestre Leo Imamura demonstra um dos trabalhos com a ajuda do Mestre Leonardo Reis)

(Ving Tsun Experience Seminar Level 1  in June 2011: Grand Master Leo Imamura demonstrates a practice with the help of Master Leonardo Reis)

Si Gung , Grão-Mestre Leo Imamura, é uma pessoa que é muito respeitada no "Mo Lam" também por conta de sua lealdade a seu Si Fu do primeiro dia que o conheceu até hoje depois de seu falecimento.E isso inspirou as gerações que descendem dele a fazerem o mesmo, ainda que isso não seja uma regra que se aplique em todos os casos . De toda forma, ele desenvolveu baseado no "Siu Nim Do", o "Ving Tsun Experience".
O "Ving Tsun Experience" se trata de um programa que proporciona a experiência de um sistema de inteligência marcial com características do Sistema Ving Tsun, em termos de fases, modalidades e naturezas do domínio.

My Si Gung, Grand Master Leo Imamura, is a person who is highly respected in "Mo Lam" also because of his loyalty to his Si Fu from the first day he met him until his death. And that inspired the generations that  are descended from him to do the same, although this is not a rule that applies in all cases. Anyway, he developed based on "Siu Nim Do", the "Ving Tsun Experience".
The "Ving Tsun Experience" is a program that provides the experience of a martial intelligence system with characteristics of the Ving Tsun System in terms of phases, modalities and natures of the domain.

(Seminário do Ving Tsun Experience Nível 1 em Junho de 2011: 
Grão-Mestre Leo Imamura demonstra um dos trabalhos com a ajuda do discípulo Guilherme de Farias)

(Ving Tsun Experience Seminar Level 1  in June 2011: Grand Master Leo Imamura demonstrates a practice with the help of his second generation Disciple Guilherme de Farias)



 Sobre o "Siu Nim Do" criado por seu mentor, Si Taai Gung Moy Yat , Si Gung escreveu o seguinte certa vez: "...Pelo fato de seus movimentos terem sido estruturados a partir da ocupação da Linha Central, o Siu Nim Do caracteriza-se pela versatilidade na manifestação das diferentes naturezas do Sistema Ving Tsun. Graças a engenhosidade da arquitetura do Siu Nim Do, foi possível utilizá-lo na estruturação do Ving Tsun Experience, o que acabou constituindo numa verdadeira homenagem ao Patriarca Moy Yat (9GVT) por sua inteligência antecipatória na salvaguarda do Sistema Ving Tsun..."

On the "Siu Nim Do" created by his mentor, Si Taai Gung Moy Yat, Si Gung once wrote: "... Because its movements were structured from the occupation of the Center Line, the Siu Nim Do from The Ving Tsun System was able to be used in the structuring of the Ving Tsun Experience, which became a true tribute to the Patriarch Moy Yat (9GVT ) For his anticipatory intelligence in safeguarding the Ving Tsun System ... "

(Seminário do Ving Tsun Experience Nível 1 em Junho de 2011: 
Grão-Mestre Leo Imamura demonstra um dos trabalhos com a minha ajuda)

(Ving Tsun Experience Seminar Level 1  in June 2011: Grand Master Leo Imamura demonstrates a practice with my help)





Quando Patriarca Moy Yat (foto) chegou em New York, em 2 de setembro de 1973, o fato teve grande repercussão. Ainda assim o Patriarca tinha uma postura de não tentar convencer os outros sobre a importância da Vida Kung Fu, que havia aprendido através da experiência privilegiada que teve com o seu mentor, o Patriarca Ip Man.
Em entrevista para o projeto “A Bordo do Junco Vermelho” do Grande Clã Moy Yat Sang, o Professor François Jullien disse que o termo kung fu é uma noção muito implícita no pensamento chinês. Os chineses costumam ter apenas uma certa evidência dessa noção, por isso o sam faat (o que chamamos de Vida Kung Fu) tem sido um processo essencial de transmissão.
Para ele, a noção de kung fu passou a ficar evidente somente quando tomou contato com o Ocidente. Foi encontrando o pensamento ocidental que os chineses perceberam que há um implícito pedagógico e, assim, um recurso de pensamento por trás dessa noção que parecia tão natural.
Portanto, o desafio estava dado. Como evidenciar algo que é tão implícito? No contato com o Ocidente, esse processo de aprendizagem do Kung Fu, no contexto de acesso ao Sistema Ving Tsun, através do provimento progressivo da Vida Kung Fu, deveria agora receber uma denominação.

When Patriarch Moy Yat (photo above) arrived in New York on September 2, 1973, the fact had great repercussion. Yet the Patriarch had a posture of not trying to convince others of the importance of Kung Fu Life, which he had learned through the privileged experience he had with his mentor, Patriarch Ip Man.
In an interview for our project "Aboard the Red Junk," Professor François Jullien said that the term "kung fu" is a very implicit notion in Chinese thought. The Chinese usually have only some evidence of this notion, so the sam faat (what we call Kung Fu Life) has been an essential process of transmission.
For him, the notion of kung fu became evident only when he came into contact with the West. It was finding Western thought that the Chinese realized that there is an implicit pedagogical and thus a resource of thought behind that notion that seemed so natural.
So the challenge was given. How to evidence something that is so implicit? In contact with the West, this process of learning Kung Fu in the context of access to the Ving Tsun System through the progressive provision of Kung Fu Life should now be given a denomination.

(Patriarca Moy Yat e sua esposa, Sra. Helen Moy no Rio, 
por ocasião da última visita do patriarca ao nosso país)


(Patriarch Moy Yat and his wife, Mrs. Helen Moy in Rio,
On the occasion of the last visit of the patriarch to our country)

Em 28 de Junho de 1997,  com a Cerimônia de Aposentadoria do Patriarca Moy Yat. A partir desta data, seus descendentes, seriam os responsáveis pelo compromisso de uma denominação que até então era uma noção muito implícita, norteada pelo exemplo vivo de seu idealizador: a Denominação Moy Yat Ving Tsun.
A Denominação Moy Yat Ving Tsun é o compromisso de provimento progressivo da Vida Kung Fu (Sam Faat) assumido pelo Patriarca Moy Yat (1938–2001) com relação aos seus descendentes, no contexto do acesso ao Sistema Ving Tsun.

On June 28, 1997, with the Patriarch Moy Yat Retirement Ceremony. From this date, his descendants would be responsible for the commitment of a denomination that until then was a very implicit notion, guided by the living example of its founder: the Moy Yat Ving Tsun Denomination.
The Moy Yat Ving Tsun Denomination is the commitment to provide progressive Kung Fu Life (Sam Faat) assumed by Patriarch Moy Yat (1938-2001) in relation to his descendants, in the context of access to the Ving Tsun System.

(Grão-Mestre Leo Imamura grava um material especial sobre o Ving Tsun Experience no Rio em estúdio cedido pelo seu descendente de terceira geração no Brasil, Renato Madeira.)

(Grand Master Leo Imamura records a special material on the Ving Tsun Experience in Rio, in studio provided by his descendant of third generation in Brazil, Renato Madeira.)


Por isso, o "Ving Tsun Experience" atua dentro da Moy Yat Ving Tsun Martial Intelligence, como um "instrumento" dentro do Vetor Estratégico de "Reconhecimento dos Descendentes do Patriarca Moy Yat". Pois acredito ,que dentre tantos potenciais, facilita com que pouco a pouco e a seu tempo, o praticante possa se enxergar como um membro em potencial da Linhagem Moy Yat, capaz de honrar a "Denominação Moy Yat Ving Tsun".  Isso , de certa forma a meu ver, ajuda também a "proteger" o Sistema Ving Tsun .

Therefore, the Ving Tsun Experience acts within the Moy Yat Ving Tsun Martial Intelligence as an "instrument" within the Strategic Vector of "Recognition of the Descendants of Patriarch Moy Yat." So, I believe that, among so many potentials, it facilitates that little by little and in due time, the practitioner can see himself as a potential member of the Moy Yat Lineage, capable of honoring the "Moy Yat Ving Tsun Denomination". This, I see, helps to "protect" the Ving Tsun System as well.
(Si Fu me observa enquanto apareço refletido no espelho 
falando algumas palavras em um de meus aniversários)

(Si Fu watches me as I appear reflected in the mirror
Speaking a few words on one of my birthdays)


Ei, eu não vou mentir! Discípulos fazem muitas besteiras e  "Si Fus" tem muita paciência.  E devo dizer que é um desafio constante estar sempre conectado ao meu Si Fu , sintonizado com seus pedidos e suas ideias ainda que muitas vezes não me ocorra a razão ou as razões delas. Nesse exato momento, estou deixando muitas delas escaparem , outras tantas, estou me esforçando não só para cumprir como principalmente para entendê-las, aderindo a elas , para então me apoiar em seus potenciais e propor uma terceira coisa...
Independente do que eu faça ou deixe de fazer, entendo hoje que quando faço , era meu papel como discípulo e quando deixo de fazer, perco um tempo que não volta mais...

Hey, I'm not going to lie! Disciples mess up a lot and "Si Fus" has a lot of patience. And I must say that it is a constant challenge to always be connected to my Si Fu, tuned to his requests and his ideas although I often do not occur to me the reasons of them. At this very moment, I am letting many of them escape, many others, I am striving not only to accomplish but mainly to understand them, adhering to them, to then lean on their potentials and propose a third thing ...
Regardless of what I do or do not do, I understand today that when I do, it was my role as a disciple and when I stop doing it, I lose some time that does not come back ...



The Disciple of Master Julio Camacho
Thiago Pereira "Moy Fat Lei"
moyfatlei.myvt@gmail.com


sábado, 15 de abril de 2017

DOCUMENTARY: The "Invisible" in Kung Fu


Com depoimentos de Mestres de muitos estilos, dentre eles o Mestre Senior Nataniel Rosa e o Grão-Mestre Leo Imamura(foto). Este documentário de curta-metragem, apresenta para o espectador o conceito já consagrado internacionalmente por nomes como François Jullien e  Peimin Ni e nacionalmente pelo próprio Grão-Mestre Leo Imamura da importância do “Invisível” no Kung Fu.
Através de explicações usando cenas de filmes e de exemplos do dia a dia, este documentário vai abrir mais a visão do artista marcial e do entusiasta, para algo que o Professor  Peimin Ni chamou de “Perspectiva Kung Fu”.

With testimonials from Masters of many styles, among them Senior Master Nataniel Rosa and Grand Master Leo Imamura (photo). This short documentary presents to the viewer the concept already consecrated internationally by names like François Jullien and Peimin Ni and nationally by the Grand Master Leo Imamura himself about the importance of the "Invisible" in Kung Fu.
Through explanations using film scenes and everyday examples, this documentary will further open the vision of the martial artist and enthusiast, to something that Professor Peimin Ni called "Kung Fu
Perspective ."

Acompanhe abaixo o documentário:
Watch below the documentary:





The Disciple of Master Julio Camacho 
Thiago Pereira "Moy Fat Lei"
moyfatlei.myvt@gmail.com

sexta-feira, 14 de abril de 2017

The Ving Tsun ancestor : Leung Tak Wing a.k.a. Leung Jaan.

(Si Fu e Si Gung apreciam o portal de entrada da Vila Gu Lo, a Vila natal de Leung Jaan)
(Si Fu and Si Gung apreciating the view of the main gate of Gu Lo Village entrance)

Segundo a respeitada sinóloga Anne Cheng - "...A racionalidade chinesa,em vez de emergir dos mitos e afimar-se em oposição a eles, nasceu no seio do espírito ritual que lhe deu forma. Assim, a racionalidade designada pelo termo LI apresenta naturalmente semelhanças com seu homófono já citado , li ritual , mas também com o termo que veio a designar cultura: wen (man 文) , cuja grafia original pode ser interpretada como representando um dançarino disfarçado de pássaro com motivos de plumas sobre o peito. Por derivação chega-se ao sentido de  "motivo", de "desenho", de "Traço" ... wen (man 文)passa a designar de maneira geral um signo , e partcicularmente um signo escrito, fundamento precisamente da cultura que os Zhou reivindicaram como sua característica maior , a ponto de atribuir o nome póstumo de wen (man 文)ao rei fundador da dinastia, ao qual sucedeu a bravura marcial do Rei Wu (Mo 武) que viria a se tornar o complemento tradicional da 'cultura' wen (man 文). (Histoire de la penseé chinoise , Éditions du Seuil, 1997)


According to respected synlogist Anne Cheng, "Chinese rationality, instead of emerging from myths and asserting itself in opposition to them, was born in the bosom of the ritual spirit which gave form for itself. Thus, the rationality designated by the term LI naturally bears similarities to its already mentioned homophone, li ritual, but also to the term that came to designate culture: wen (man 文), whose original spelling can be interpreted as representing a dancer disguised as a bird With feathered motifs on the chest. By derivation one arrives at the meaning of "motive," "drawing," "Trace" ... wen (man 文) generally designates a sign, and particulary a written sign, precisely founded on the culture that the Zhou claimed as their major characteristic, to the point of attributing the posthumous name of wen (man 文) to the founding king of the dynasty, to which succeeded the martial bravery of King Wu (Mo 武) that would later become the traditional complement of ' 'Wen (man 文)." - (Histoire de la penseé chinoise , Éditions du Seuil, 1997)
 (Si Fu caminha nas vielas da Vila Gu Lo que levam até a residência de Leung Jaan)
(Si Fu walks along the way to Leung Jaan´s former house)

Diz-se que que é importante para um artista marcial ser proficiente em man 文 e mo 武. Ou seja, é importante que esta pessoa caminhe pela vida de forma equilibrada, tendo condições de se expressar tanto intelectualmente, verbalmente ou através da escrita  man 文 , como também através de seu corpo em termos de marcialidade mo 武.
Leung Jaan era capaz de fazê-lo.  Sua proeminência era tamanha no "Mo Lam", que as pessoas passaram a se referir a ele como "Jaan Sing Sang" (贊先生) ou "Senhor Jaan".
As fontes terciárias como "O registro de Mestres Famosos de Faat Saan da Chin Woo Faat Saan Association", contam que "Jaan Sang" (贊生) , o nome pelo qual a farmácia de sua família era conhecida pela população. Era confundido com "Jaan Seng", sendo "Seng" uma má compreensão do termo Sing Sang"(先生).
De forma geral, Sing Sang"(先生)era um termo restrito a quatro posições dentro da sociedade: Médicos, Si Fu, Intelectuais e Professores. Leung Jaan reunia as quatro características.


It is said that it is important for a martial artist to be proficient in man 文 and mo 武. That is, it is important that this person walks through life in a balanced way, being able to express himself either intellectually, verbally or through written (man 文), as well as through his body in terms of  (mo 武) or "martial".
Leung Jaan was able to do so. His prominence was so great in "Mo Lam" that people came to refer to him as "Jaan Sing Sang"
(贊先生) or "Mister Jaan".
Tertiary sources such as " Famous Masters of Faat Saan register of the Chin Woo Faat Saan Association" report that "Jaan Sang" (
贊 生), the name by which the family pharmacy was known by the population, was confused with "Jaan Seng", being "Seng" a misunderstanding of the term Sing Sang "(先生).
In general, Sing Sang "(先生) was a term restricted to three positions within society: Medical Doctors, Si Fu, Intellectuals and Professors. Leung Jaan met the four characteristics.

(O lendário ator Yuen Biao, interpreta Leung Jaan no blockbuster 
vencedor de vários prêmios de 1982 "The Prodigal Son" )

(The legendary actor Yuen Biao plays Leung Jaan in the 1982 
multi-award winning blockbuster "The Prodigal Son")

Nos anos '80, centenas de publicações de revistas americanas como a saudosa "INSIDE KUNG FU" que tentavam traçar o passado de Bruce Lee, falavam sobre Ip Man. E os filmes da série "O Grande Mestre" fizeram dele a figura mais icônica do Ving Tsun (Wing Chun) na atualidade. Porém, antes dele o ancestral com mais publicações literárias , novelas e filmes a seu respeito continua sendo Leung Jaan. Que por acaso foi Si Gung de Ip Man (O "Si Fu do Si Fu").
Na maioria de suas aparições cinematográficas, Leung Jan foi interpretado pelo talentosíssimo ator Yuen Biao. Como vemos acima , na cena do filme de 1982 "The Prodigal Son" ou "Ba Ga Jaai".

In the '80s, hundreds of American magazines publications was trying to trace the history of Bruce Lee, and started to write about Ip Man. And the movies from "Ip Man" franchise series made him the most iconic figure of Ving Tsun (Wing Chun) to pop culture nowadays. But before him, the ancestor with more literary publications and films about him was Leung Jaan. Who happened to be Si Gung of Ip Man (Or, "Si Fu of his Si Fu").
In most of his film appearances, Leung Jaan was played by the talented actor Yuen Biao (photo). As we see above, in the 1982 movie scene "The Prodigal Son" or "Ba Ga Jaai".


 (Meu Si Fu Julio Camacho e meu Si Baak Nataniel Rosa, ambos
 Mestres Seniors da Moy Yat Ving Tsun na Vila natal de Leung Jaan)
 
(My Si Fu Julio Camacho and my Si Baak Nataniel Rosa, both
Masters Seniors of Moy Yat Ving Tsun in the native village of Leung Jaan)


 Leung Jaan teria nascido em 1826 na Aldeia de Tung Pin , Vila Gu Lo em Hok Shan. Ele era oriundo de uma família de educação refinada. Pouca gente sabe, mas Leung Jaan teve um irmão chamado Tak Nam, que foi preparado pelo pai para administrar os bens da família.
O nome de nascimento de Leung Jaan é "Leung Tak Wing" . Quando seu pai estabeleceu com caligrafia refinada o letreiro de sua farmácia, que era chamada de Wing Sang Tong (榮生堂) as pessoas confundiam Wing (榮) com Jaan(贊). E como no dia-a-dia não falavam o Tong (堂), o local passou a ser chamado de "Jaan Sang" (贊生).

Leung Jaan would have been born in 1826 in Tung Pin , Gu Lo Village in Hok Shan. He came from a family of refined education. Few people know, but Leung Jaan had a brother named Tak Nam, who was prepared by his father to administer the family assets.
Leung Jaan's birth name is "Leung Tak Wing". When his father finely signed the sign of his pharmacy, which was called Wing Sang Tong (榮生堂), people confused Wing (榮) with Jaan (贊). And since in day-to-day they do not speak Tong (堂), the place came to be called "Jaan Sang" (
贊 生).
 Em 2005, Yuen Biao ainda interpretou Leung Jaan na novela "Faat Saan Jaan Sing Sang" ("O senhor Jaan de Faat Saan"). Porém, foi apenas em 2007, que sob convite de seu Si Hing Sammo Hung (foto) , Yuen Biao volta para sua interpretação definitiva e emocionante de Leung Jaan na novela "Wing Chun", minha novela chinesa preferida (Ela necessita de persistência para assistir).
Com um ar muito mais maduro, e passando longe da comédia pastelão que sempre rondou suas perfomances como Leung Jaan . Yuen Biao nos apresenta um Si Fu de Ving Tsun consistente e que realmente lhe faz acreditar que Leung Jaan pudesse ter sido assim. Ainda que Nicolas Tse , que interpreta seu filho Leung Bik e Sammo Hung que interpreta Wong Wah Bo, quase tenham comprometido a novela com suas péssimas atuações.

In 2005, Yuen Biao still played Leung Jaan in the soap opera "Faat Saan Jaan Sing Sang" ("Mr. Jaan from Faat Saan"). But it was only in 2007 under the invitation of his Si Hing Sammo Hung (photo), Yuen Biao went back to his definitive and exciting interpretation of Leung Jaan in "Wing Chun" soap-opera.
With an much more mature play, and going away from the slapstick comedy that always prowled his performances as Leung Jaan, Yuen Biao gives us a Ving Tsun Si Fu  consistent and that really makes you believe that Leung Jaan could have been that way. Although Nicolas Tse, who plays his son Leung Bik and Sammo Hung who plays Wong Wah Bo, have almost committed the show with their poor performances.

 (A Linhagem Moy Yat com sua matriarca ao centro, 
Sra. Helen Moy , na porta da casa de Leung Jaan)

(The Moy Yat Lineage , with Madam Helen Moy in the middle, 
in front of Leung Jaan´s former house)

Leung Jaan ficou famoso pela sua atuação com a medicina junto aos necessitados, por isso, teria decidido por adotar o nome pelo qual estas pessoas se dirigiam a ele, e assim, ficou conhecido principalmente no "Mo Lam" como "Leung Jaan".
Foi exatamente esta dedicação aos menos privilegiados social e culturalmente que tocou profundamente o ancestral Leung Yi Tai , que lhe fora apresentado pelo seu amigo Leung Kai, e aceitaria Leung Jaan mais tarde como discípulo.

Leung Jaan became famous for his work with medicine with people in needy, so he would have decided to adopt the name by which these people addressed him, and so he became known mainly in "Mo Lam" as "Leung Jaan".
It was precisely this dedication to the less socially and culturally privileged that deeply touched the ancestor Leung Yi Tai, who had been introduced to him by his friend Leung Kai, who would accet Leung Jaan later as a disciple.
(Yuen Biao interpreta Leung Jaan em cena da novela "Wing Chun" de 2007) 
(Yuen Bia plays Leung Jaan in "Wing Chun" drama series in 2007)


  Acontece que mesmo sendo solicito aos mais necessitados quando se tratava de medicina, com o Ving Tsun não acontecia o mesmo: Leung Jaan teria sido extremamente rigoroso no aceite de seus discípulos, que em toda sua carreira somaram apenas seis pessoas. Sendo a última o Si Fu de Ip Man, Chan Wah Sun, que conseguiu fazer parte do grupo apenas depois de muita insistência de Fung Wah .seu amigo que já fazia parte da Família Kung Fu de Leung Jaan.
Além destes dois notórios discípulos, os filhos de Leung Jaan: Leung Bik e Leung Chun , foram seus mais conhecidos discípulos.

It turns out that even being nice to the needy when they came to medicine, with Ving Tsun did not happen the same: Leung Jaan would have been extremely strict in acceptance of his disciples, who throughout his career totaled only six people. The latter being the Si Fu of Ip Man, Chan Wah Sun, who managed to join the group only after much insistence by Fung Wah .your friend who was already part of the Family Kung Fu of Leung Jaan.
Besides those two disciples, Leung Bik and Leung Chun, both sons of Leung Jaan , were other two of his remarkable Kung Fu Family.


 (Si Gung ladeado por Si Suk Felipe e Si Baak Gung Pete. à direita está o Si Baak Natan. Ambos observam a incrível maquete do King Fa Wui Gun no museu dedicado a Ópera Cantonesa, a qual acolheu três gerações de ancestrais do Ving Tsun)

(Si Gung flanked by Si Suk Felipe and Si Baak Gung Pete on the right is Si Baak Natan, both watching the incredible model of the King Fa Wui Gun in the museum dedicated to Cantonese Opera, which housed three generations of Ving Tsun ancestors)

(Lam Chin Ying em sua inesquecível interpretação como Leung Yi Taai em "Ba Ga Jaai" de 1982)
(Lam Ching Ying in his unforgettable interpretation as Leung Yi Taai in "Ba Ga Jaai" of 1982)

 Na época em que Leung Jaan foi apresentado a Leung Yi Taai, o King Fa Wui Gung havia sido destruído (1854) por suspeita do governo, que viria a ser confirmada mais tarde, de que a entidade abrigava revolucionários que desejavam restabelecer a Dinastia Ming. Por ser um dos atores do grupo, Leung Yi Tai podia agora dedicar bastante tempo ao seu dedicado discípulo Leung Jaan.

By the time Leung Jaan was introduced to Leung Yi Taai, King Fa Wui Gung had been destroyed (1854) on suspicion of the government, which later came to be confirmed, that it housed revolutionaries who wanted to re-establish the Ming Dynasty. As one of the group's actors, Leung Yi Tai could now devote considerable time to his dedicated disciple Leung Jaan.

(Selo de Leung Jaan insculpido em pedra por Patriarca Moy Yat na coleção "Ving Tsun Kuen Kuit". No selo, é possível ver ladeando o nome de Leung Jaan, 
quatro figuras no sentido anti-horário : Dragão, Fênix, Tigre e Tartaruga)

(Seal of Leung Jaan inscribed in stone by Patriarch Moy Yat in the collection "Ving Tsun Kuen Kuit" On the seal, one can see Leung Jaan's name in the middle of  four figures counterclockwise: Dragon, Phoenix, Tiger and Turtle)



Um termo recorrente nos Analectos de Confúcius é o "Jun Zi" , que ele preferia interpretar como "Homem de Bem". Segundo ele, a grande razão do aprender é, portanto, tornar-se "Homem de bem". Em outras palavras, tomadas de um grande pensador confuciano do século XI , "aprender é aprender  a fazer de si mesmo um ser humano."
Em sua gloriosa carreira, Leung Jaan recebeu inúmeros nomes pelos quais as pessoas passaram a conhecê-lo. Dentre eles, "Faat Saan Jaan Sing Sang" (佛山贊先生) ou "O senhor Jaan de Faat Saan" e também "Faat Saan Kuen" (佛山拳) ou "O punho de Faat Saan".
O primeiro nome  , "Faat Saan Jaan Sing Sang" (佛山贊先生) , não só atribuía a ele a categoria de Sing Sang (先生) "Senhor", como o tratava como "O senhor Jaan" da cidade de "Faat Saan".
O segundo, falava do Mo Lam, pois numa cidade que era o grande centro das artes marciais da época, ele era "O punho"(Kuen 拳)  da cidade.

A recurring term in the Analects of Confucius is "Jun Zi," which he preferred to interpret as "Good Man". According to him, the great reason for learning is, therefore, to become "a good man". In other words, taken from a great Confucian thinker of the eleventh century, "to learn is to learn to make of itself a human being."
In his glorious career, Leung Jaan received countless names by which people came to know him. Among them, "Faat Saan Jaan Sing Sang"
(佛山贊先生) or "Mr. Jaan of Faat Saan" and also "Faat Saan Kuen" (佛山 拳) or "The Fist of Faat Saan".
The first name, "Faat Saan Jaan Sing Sang"
(佛山贊先生), not only attributed to him the category of Sing Sang (先生) "Mister", as treated him as "Mr. Jaan" of the city of "Faat Saan" .
The second, spoke of Mo Lam, because in a city that was the great center of the martial arts of the time, he was "The fist" (Kuen 拳) of the city.

(Publicação de 1981 sobre a famosa novela "Sr. Jaan de Faat Saan" exibida na mesma época. A novela com seu tema de abertura marcante, 
ficou tão famosa que gerou um filme no ano seguinte: The Prodigal Son)

(1981 publication on the famous TV drama  "Mr. Jaan from Faat Saan" exhibited at the same time.The show with its remarkable opening theme, 
became so famous that it became a movie in the following year: The Prodigal Son.)

Acima de qualquer alcunha que tenha recebido ao longo da vida, Leung Jaan foi mais um dos ancestrais do Ving Tsun que desenvolveram sua humanidade ao longo da vida, conseguindo um grande êxito nesse quesito. Um Mestre de Ving Tsun que soube equilibrar sua trajetória em man 文 e mo 武 fazendo o Ving Tsun ficar conhecido e respeitado, já que seu desafio foi grande ao ser o primeiro ancestral a trazer o Ving Tsun à luz publicamente depois de cinco gerações. 

Beyond any nickname he has received throughout his life, Leung Jaan was yet another of the ancestors of the Ving Tsun who developed his humanity throughout his life, achieving a great success in this matter. . A Master of Ving Tsun who knew how to balance his trajectory in man 文 and mo 武, making the Ving Tsun known and respected, since his challenge was great to be the first ancestor to bring the Ving Tsun to the light publicly after five generations.


Encerramos com essa banda cantando o tema de "Sr Jaan de Faat Saan" no natal no meio da rua:
We close the article with this strret band playing "Mr. Jaan of Faat Saan" in 2013 christimas: 








 The Disciple of Master Julio Camacho
Thiago Pereira "Moy Fat Lei"
moyfatlei.myvt@gmail.com

quarta-feira, 12 de abril de 2017

10 years of the Blog : 1 year of Moy Fat Lei Family

(Momento em que falo aos meus novos To Dai observado por Si Gung e Si Fu)
(Moment when I said some words to my new students watched by Si Gung and Si Fu)

Havia pensado no que falar minutos antes, porém, quando tomei o microfone em minhas mãos as palavras me escaparam por um momento. Sempre acho impressionante o que é possível acontecer em poucos milésimos de segundos, pois foi nesse tempo em que senti minha timidez  querer tomar o lugar por conta do que aquele momento representava. Rapidamente, o praticante de Kung Fu fez ela se dispersar e as palavras voltaram como uma avalanche. E assim, foi possível falar o que queria a cada To Dai .
E assim tem sido nos últimos dez anos: Em todos os momentos de fraqueza ou da possibilidade da mesma, é o Kung Fu que me sustenta. Uma força de vontade vem de algum lugar, e torna possível que eu realize coisas que não conseguiria normalmente.
Recentemente meu Si Fu falou algo como: "... O que a pessoa já traz com ela, já é a habilidade dela. Tudo o que ela fizer além disso, é o Kung Fu..."

I had thought about what to say few minutes before, but when I took the microphone in my hands the words escaped me for a moment. I always find it impressive about what is possible to happen in a few thousandths of a second, for that time when the feeling of shyness start to take the place because of what the moment represents to me. Quickly, the Kung Fu practitioner inside me take the lead and  words came back like an avalanche. And so it was possible to speak what I pretended to each To Dai.
And so it has been in the last ten years: In all moments of weakness or the possibility of it, it is the Kung Fu that sustains me. A willpower comes from somewhere, and makes it possible for me to accomplish things I would not normally achieve.
Recently my Si Fu said something like: "... What a one already bring with him, it is already a skill of him. All he does besides is Kung Fu ..."



10 years of the Blog : 1 year of Moy Fat Lei Family


 Essa semana, o Blog completa 10 anos. Começando com o nome "Blog do Pereira" e hoje com o nome de "A Journey of Ving Tsun Life", nome que me foi presentado pelo meu Si Fu. Este Blog me acompanhou nos melhores e piores momentos, e é com uma sorte boa que podemos completar os 10 anos do Blog com uma postagem sobre o primeiro ano completado da minha Família Kung Fu. 
A Cerimônia que receberia os membros : Renato Madeira, Poliana Hiromi , Luiz Grativol e Carol Archanjo em minha Família, aconteceu no bom e velho salão do Estrela do Sul(foto). Porém, além da Cerimônia da minha Família, também houve a do meu Si Fu na sequência. Um momento mágico, completo pela presença de meu Si Gung Leo Imamura.

This week, the Blog completes 10 years. Starting with the name "Blog of Pereira" and today with the name of "A Journey of Ving Tsun Life" given by my Si Fu. This blog has accompanied me in the best and worst moments, and it is with good luck that we can complete the 10 years of the Blog with a post about the first completed year of my Kung Fu Family.
The Ceremony that would receive the members: Renato Madeira, Poliana Hiromi, Luiz Grativol and Carol Archanjo in my Family, happened in the good old hall of the South Star Restaurant (photo). However, in addition to the Ceremony of my Family, there was also  Si Fu's Family Ceremony in the sequence. A magical moment, complete by the presence of my Si Gung Leo Imamura.
 Os Certificados entregues àqueles que participariam da Cerimônia(foto), foram assinados por mim, pela minha esposa, pelo meu Si Fu e pelo Si Gung. Os certificados são cuidadosamente feitos pelo Si Suk Flavio Caxiano, nosso emissor oficial de Certificados. Importante dizer, que apenas ele , em toda a Moy Yat Ving Tsun Martial Intelligence pode emitir certificados. Nem mesmo Si Gung pode fazê-lo. Por isso, os certificados vem com sua assinatura. Qualquer coisa diferente disso é ilegítimo. 
Todos os certificados se adequam a cada finalidade, a cada composição de texto e principalmente ao nome de cada membro. Por isso, dizemos que eles seguem modelos padronizados e não rígidos. Nas palavras do próprio Si Suk Caxiano.

The Certificates delivered to those who would participate in the Ceremony (photo) were signed by me, my wife, my Si Fu and Si Gung. The certificates are carefully made by Si Suk Flavio Caxiano, our official issuer of Certificates. Importantly, that only he, throughout the Moy Yat Ving Tsun Martial Intelligence can issue certificates. Even Si Gung can not do it. So the certificates come with his signature. Anything other than that is illegitimate.
All certificates are tailored to each purpose, to each text composition and especially to the name of each member. Therefore, we say that they follow standardized and non-rigid models. In the words of Si Suk Caxiano himself.
 Antes da Cerimônia começar , um de meus To Dai , o fanático por futebol Vitor Sá (de pé no canto superior esquerdo), comunicou que teríamos a exibição de um vídeo de homenagem ao primeiro ano da Família Kung Fu. Enquanto isso, Pedro Freire, o To Dai mais antigo, estava abaixado preparando o computador. Bom, para mim foi bem emocionante ver aquela cena. Pois nesses 10 anos do Blog, vocês puderam ver a quantidade de vídeos que produzi de homenagens. Geralmente eu digo que o primeiro foi o da antiga colíder da Família Moy Jo Lei Ou, mas não é verdade. O primeiro vídeo que produzi para o Blog foi contando como foi a primeira vez que joguei "Mortal Kombat" no terminal rodoviário da Pavuna(Zona Norte do Rio)!!! Veja, acho que melhoramos os temas abordados aqui! rs
Enfim, foi emocionante vê-los ali em duas posições que já estive em muitos momentos... Eles escolheram a música "What a Feeling" do filme "Flashdance" para o vídeo..rs Um sorriso me tomou desprevenido quando começou a tocar...rs

Before the Ceremony began, one of my To Dai, the biggest football (soccer) fan, Vitor Sá (standing in the upper left corner) announced that we would have a tribute video to the first year of the Moy Fat Lei Kung Fu Family. Meanwhile, Pedro Freire, the oldest To Dai, was down preparing the computer. Well, it was really exciting for me to see that scene. Because in these 10 years of the Blog, you could see the amount of tribute videos that I produced. Usually I say that the first was a tribute to the former co-leader of the Moy Jo Lei Ou Family, but it's not true. The first video I produced for the Blog was telling how it was the first time I played "Mortal Kombat" at the Arcades at the Pavuna bus terminal (Rio´s north zone) !!! See, I think we've improved the topics covered here! LOL
Anyway, it was exciting to see them there in two positions I've been in a lot of times ... They chose the song "What a Feeling" from the movie "Flashdance" for the video..lol A smile took me off guard when it started playing. ..LOL
(Acendendo os incensos a serem ofertados à mesa ancestral) 
(Lighting the incense to be offered to the ancestral table)

 Aquela não era só a uma noite que celebrava as pessoas presentes, ou um ano de Família Moy Fat Lei. Era também uma noite que celebrava o primeiro ano de Clã Moy Jo Lei Ou e o primeiro ano do Grande Clã Moy Yat Sang . Já que todas essas novas atribuições surgiram junto com a primeira Cerimônia da Família Moy Fat Lei. Si Fu costumava nos perguntar sobre quando um nascimento ocorre de fato. Chegávamos a conclusão de que não dá pra saber ao certo... Toda essa noite nasceu com o incêndio do Templo Shaolin (Siu Lam) ou com a mudança do Patriarca Moy Yat para os EUA? Ou quem sabe com a primeira viagem do Si Gung aos EUA? Ou mesmo com a entrada do meu Si Fu na Família Moy Yat Sang? Bom, acredito que seja por tudo isso e uma coisa em comum: O permanecer destas pessoas na Família Kung Fu apesar das adversidades.

That was not just a night that celebrated the people present, or a year of Moy Fat Lei Family. It was also a night celebrating the first year of Clan Moy Jo Lei Ou and the first year of the Grand Clan Moy Yat Sang. Since all of these new assignments came along with the first Moy Fat Lei Family Ceremony. 
Si Fu used to ask us about when a birth actually occurs. We came to the conclusion that we can not know for sure ... All this night was born with the fire of the Shaolin Temple (Siu Lam) or the change of Patriarch Moy Yat to the US? Or maybe with the first trip of  Si Gung To the USA? Or maybe the when my Si Fu joined the Moy Yat Sang Family? Well, I believe it is all this and one thing in common: The staying of these people in the Kung Fu Family despite adversity.
 O Sam Toi estava ladeado por mim e pela minha esposa. Porém, algo inédito aconteceu aquela noite:  A esquerda, meu Si Fu e Si Gung!(foto) Além desta honra, inauguramos um marco histórico da primeira Cerimônia na América Latina da Linhagem Moy Yat a reunir quatro gerações num mesmo momento. 
Eu realmente precisei lutar para não me perder em pensamentos! Sabe quando alguém diz que quando uma pessoa está para morrer um filme da vida dela passa na cabeça? Pois bem, o botão "Play" do filme da minha vida insistia em passar na minha cabeça , mas como eu não estava para morrer, rs, achei que era só a emoção insistindo em tomar conta...  

Sam Toi was flanked by me and my wife. However, something unheard of happened that night: In the left, my Si Fu and Si Gung! (Photo). In addition to this honor, we inaugurated a historical milestone : The first Latin American Ceremony of the Moy Yat Lineage to bring together four generations at the same time.
I really had to fight not to get lost in thoughts! Do you know when someone says that when a person is about to die a movie of his/her life goes through the head? Well, the "Play" button of the film of my life insisted on going through my head, but since I was not to die, lol, I thought it was just the emotion insisting on taking me away ...
 À minha esposa, Si Gung , Si Fu, aos Si Suk ao Si Hing-Dai, To Dai e a todos os presentes naquela noite , meu "Muito Obrigado" por preencher a minha vida com algo que nunca conseguirei descrever!

To my wife, Si Gung, Si Fu, Si Suk to Si Hing-Dai, To Dai and all those present that night, my "Thank You" for filling my life with something I will never be able to describe!




 A todos que seguiram o Blog até aqui! Meu muito obrigado!

To all the readers: Thank you very much for all those years!


 The Disciple of Master Julio Camacho
Thiago Pereira "Moy Fat Lei"
moyfatlei.myvt@gmail.com

sexta-feira, 31 de março de 2017

Si Gung's epic speech (Birthday Celebration 2017)

(Si Gung com sua Família no momento de seu discurso de aniverário)
(Si Gung and his family during his speech)

Estivemos no último dia 18 de Março em São Paulo , para a celebração do aniversário de Grão-mestre Leo Imamura, meu Si Gung.  Seu aniversário sempre foi uma data que serviu , dentre tantas coisas, para reunir à sua volta figuras de várias épocas. Porém , nessa celebração que ocorreu no Restaurante China Garden no bairro da Aclimação.  A organização, liderada mais uma vez pela Si Suk Ming Abreu,  fez algo incrível: Conseguir trazer praticantes desde os anos 80, até parentes do próprio Si Gung que tiveram papel fundamental em sua história para que chegasse onde chegou.
Cada Família Kung Fu ou praticante que se dirigiu para aquela noite de festa, viveram seus próprios processos pelo caminho até o China Garden. E assim também aconteceu com a delegação do Clã Moy Jo Lei Ou composta por: Si Fu, eu, minha esposa Vanessa , Claudio Teixeira, André Almeida e Iuri Alvarenga.
Eu poderia falar muita coisa a respeito desses momentos com meu Si Fu e a minha Família Kung Fu como sempre faço mas desta vez,  deixarei que esses momentos apareçam como fragmentos em postagens vindouras para que eu possa focar no momento mais emblemático desta viagem para mim: O discurso de Si Taai e do Si Gung. 

Como geralmente é feito, pessoas de representatividade no Grande Clã Moy Yat Sang , pegam o microfone e falam algumas palavras sobre o aniversariante , e desta vez não tinha sido diferente. Porém, quando Si Taai Vanise Imamura começou a falar, dentre o que me lembro de ter escutado, ela comentou sobre a admiração que sente pela energia de Si Gung que se mantém por 25 anos todos os dias: “...As vezes ele aparece animado e diz: Pensei em algo novo para o Programa!” – Disse Si Taai.  Ouvindo aquilo, me fez refletir um pouco sobre como levo a vida as vezes. Si Fu costuma chamar a minha atenção ao meu excesso de precaução que as vezes acaba por se tornar um olhar pessimista a respeito da vida. O que para mim é sempre um choque me ver como alguém pessimista.
Na sequência, Si Gung pegou o microfone, não lembro bem do que ele falou por inteiro, porque apenas duas partes me tocaram mais profundamente: A primeira, foi quando ele falou sobre seus filhos e no meio disso comentou: “...Outro dia estava conversando com meus filhos e percebi que eu não tenho amigos de infância...” -  Si Gung riu de sua própria fala, e o salão o acompanhou, menos eu. Refleti mais uma vez sobre minha própria vida: “Cara, onde estão meus amigos de infância também?” – Pensei.  Na verdade, pensei sobre a última vez em que estive tranquilo com um amigo de infância sem hora marcada, sem correria... Não consegui lembrar. 

Entendo das falas de meu Si Fu algo como: “ A Vida Kung Fu está dentro da vida”.  – Para se viver a “Vida Kung Fu” do jeito que vivemos, é importante estar dentro do “Mo Lam”. O “Mo Lam” , a “Floresta Marcial” , ou segundo a tradução das legendas da NETFLIX em “O Tigre e o Dragão 2” : “Mundo Marcial”. Este “Mo Lam” é uma sociedade imanente da própria sociedade, com suas próprias regras.  Por vezes me percebi imerso demasiadamente no “Mo Lam”. Si Fu falaria em algumas oportunidades sobre a necessidade de um ”Si Fu” ter uma vida rica para que se possa proporcionar diferentes tipos de experiência para um To Dai. 
Estava pensando em tudo isso, quando fui trazido de volta pela fala seguinte do Si Gung: “... Mas eu fiz grandes amigos dentro das artes marciais.”  - Eu nesse momento me senti feliz, pois me identifiquei com isso.  Pois mais do que amigos, encontrei verdadeiros irmãos.

Porém, em algum momento de seu discurso, Si Gung falou a segunda coisa mais emblemática para mim em toda aquela viagem: Um comentário sobre a fala da Si Taai:  “ Nem sempre eu acordo desse jeito que ela falou, porque da mesma forma, são 25 anos começando do zero todo mês. Todo o mês é necessário começar do zero, e como vocês sabem, eu tenho dois filhos, uma esposa, uma família para cuidar...” 
Sabe, eu acompanho meu Si Fu por 18 anos, e por uma grande parte desse período acompanhei altos e baixos de seus Mo Gun. Da mesma forma, presenciei sua tranquilidade para lidar com essas adversidades, com esses constantes "sobe e desce" de quem é profissional de artes marciais. 
Certa vez, subindo a pé a rua Venceslau com Si Gung após uma visita sua ao Méier, ao me ouvir falar que as coisas não iam bem teria dito: "...A habilidade do Mestre está em antever essas mudanças de ciclo para não ser pego de surpresa..." - Si Gung citou "Os quatro canônes do Imperador Amarelo" para que eu pudesse entender melhor esse conceito. Já em outra oportunidade, em meu aniversário de 2016, Si Fu disse para Si Suk Ursula: "... As vezes o Thiago comenta: 'Si Fu, estava lembrando outro dia de um momento em que o Mo Gun estava mal(financeiramente)... Eu me pergunto.." - Disse ele rindo para Si Suk Ursula - "... Quando não esteve?... " - Ele refletiu e concluiu em tom mais sóbrio: "... Talvez essa característica já seja parte do próprio negócio..."
André Almeida, Diretor do Núcleo Barra da Tijuca da Gestão Integrada do Clã Moy Jo Lei Ou, certa vez sentado a minha frente me disse algo como: "Si Hing, eu nunca vou abrir um Mo Gun sem ter um outro trabalho." - André me ajudava na administração do Méier na parte financeira. Procurei acalmá-lo. Vivíamos nosso momento mais difícil, e não queria que ele entendesse aquele momento em nossa história, como uma constante. 
Sentado ali, tendo ouvido aquilo de Si Gung, mesmo tendo passado por essas e muitas outras histórias sobre o dia-a-dia da administração de um Mo Gun. Ainda assim me tocou profundamente. Si Gung , assim como Si Fu, nunca deixou vazar nenhuma frustração ou desequilíbrio em momentos adversos. Ouvir de alguém , que está na extremidade oposta de sua carreira , algo tão comum a você , de forma tão franca, é algo que pode emocionar.
Em 2002 , escrevi uma carta para Si Fu em uma folha de caderno que terminava com a frase: "Obrigado por me deixar viver nesse mundo de espíritos indomáveis" . - Me lembrei dessa linha naquele momento. Hoje, me sinto feliz , por ser capaz de viver de verdade no Mo Lam. Pois, ainda que saiba que essa floresta marcial é muito mais profunda do que já adentrei. Já me vejo como parte do grupo das pessoas que conseguem recomeçar do zero... Todos os meses, todas as semanas, todos os dias, em todos os momentos... E isso meu amigo... Não tem preço.

We were on the 18th of March in São Paulo, for a celebration of the birthday of Grand Master Leo Imamura, my Si Gung. His birthday was always a moment that served, among many things, to gather around him figures from various eras. However, in this celebration that took place in the  China Garden Restaurant in the neighborhood of Aclimação (read as "Aclimasaum"). An organization, once again led by Si Suk Ming Abreu did something incredible: To bring in practitioners since the 80s, to Si Gung's own relatives who played a key role in his story to get where he arrived.
Each Kung Fu Family or practitioner who went to that party night, lived their own processes on their way to the restaurant. And so it also happened with a delegation of Clan Moy Jo Lei Ou composed by: Si Fu, me, my wife Vanessa, Claudio Teixeira, André Almeida and Iuri Alvarenga.
I could say a lot about great things that hapnned . But I will let it for a next day ... Today I wanto to say about just one single moment....

As it isusually done,Grand Clan Moy Yat Sang's remarkable people pick up the microphone and say a few words about Si Gung, and this time it had been no different. But when  Si Taai Vanise Imamura began to speak, from what I remember hearing, she commented on her admiration for the energy of Si Gung that has been going on for 25 years every day: .She  said she usually say things like:" I thought of something new for the program! "-  Hearing that, made me reflect a little on how I lead my own life . Si Fu usually draws my attention to my over precaution that as time turns out to become a pessimistic look to life. Which for me is always a shock to see me as someone pessimistic.
Then Si Gung picked up the microphone, I can not remember what he said entirelly, because only two parts touched me more deeply: The first, when he talked about his children and in the middle of it commented: "... Another day I was talking With my children and I realized that I do not have childhood friends ... "- Si Gung laughed at his own speech, and the present people accompanied him, except me. I was again thinking about my own life: "Dude, where are my childhood friends too?" - I thought. In fact, I thought about one last time I was relaxed with a childhood friend without an appointment, not running ... I could not remember.

I understand the words from my Si Fu as: "A Kung Fu Life is within the life". - To live the "Kung Fu Life", it is important to be inside the "Mo Lam". The "Mo Lam", a "Martial Forest". This "Mo Lam" is an immanent society inside the general society. With its own rules. Sometimes I found myself immersed too much in "Mo Lam". Si Fu talked to me in some opportunities about a need for a "Si Fu" to have a rich life so that he can provide different kinds of experience for his To Dai.
I was thinking about all this, when I was brought back to the following message from Si Gung: "... But I made great friends within the martial arts." - I felt myself  happy in hearing that , because I identified with it. For more than friends, I found true brothers.

But at some point in his speech, "You can not say that was always exciting to me in during all those 25 years. Im always starting from zero every month.Every month you need to start from zero, and as you know, I have Two kids, a wife, a family to take care of ... "
You know, I've been following my Si Fu for 18 years, and for a large part of this period I've followed ups and downs of his Mo Gun. In the same way, I witnessed his tranquility to deal with the adversities, with the constant "ups and downs" of who is professional of martial arts.
Once, walking up the a street with Si Gung after a visit of his to Meier School, he said to me: "... The ability of the Master is in anticipating changes of the cycles to not be caught by surprise ... "- Si Gung after that , quoted" The Four Cannons of the Yellow Emperor "so that I could better understand this concept. On another occasion, on my birthday in 2016, Si Fu said to Si Suk Ursula:" ... Sometimes Thiago comments: 'Si Fu, I was remembering another day when the Mo Gun was bad (financially ) ...'  I wonder ... "- Said Si Fu laughing with Si Suk Ursula -" ... when was the time Mo Gun was not ... "- He reflected and concluded in a more sober tone:" maybe it is the nature of this business ... "
André Almeida, Director of the Barra da Tijuca School from the  Integrated Management of the Clan Moy Jo Lei Ou, once sitting in front of me said something like: "Si Hing, I'll never open a Mo Gun without having another job." - André used to help me in Méier School's administration on the financial area. I tried to calm him down. We were living our most difficult moment, and did not want him to understand  a single moment in our history as a constant.
Sitting there, having heard from Si Gung, even though I had gone through these and many other stories about the day-to-day running of a Mo Gun administration. Yet it touched me deeply. Si Gung, like Si Fu, never shown any frustration or imbalance in adverse moments. Listening to someone, who is at the opposite end of the journey, something so common to you, so frankly, is something that can thrill.
In 2002, I wrote a letter to Si Fu on a notebook paper that ended with the phrase: "Thank you for letting me live in this world of untamed spirits." . I remembered that line at that moment. Today, I am happy to be able to live in Mo Lam for real. Well, even though I know that this martial forest is much deeper than I have already entered. I already see myself as part of the group of people who can start over from zero ... Every month, every week, every day, at all times ... And that my friend ... It´s Priceless.


The Disciple of Master Julio Camacho 
Thiago Pereira "Moy Fat Lei"
moyfatlei.myvt@gmail.com




sábado, 25 de março de 2017

GRANDMASTER LEE MOY SHAN IN RIO!


Tivemos a oportunidade de receber a visitar do Grão-Mestre Lee Moy Shan no Rio de Janeiro, graças ao seu contato com meu Mestre Julio Camacho a respeito da passagem de seu cruzeiro de navio pelo Rio de Janeiro. 
A ideia inicial, era apenas um encontro com meu Mestre, este porém, vem nos falando insistentemente sobre quando uma situação se apresentar, buscarmos aderir a ela, nos apoiar em seu potencial e propor algo que traga ainda mais benefício. Desta forma, meu Mestre articulou junto de Si Gung , da Si Suk Ursula e do próprio Grão-Mestre Lee Moy Shan , uma visita ao Núcleo Copacabana, onde acontecia uma Cerimônia da Família Moy Lin Mah.... E assim, pude viver um Domingo de aprendizado...

We had an opportunity to receive the visit of Grand Master Lee Moy Shan in Rio de Janeiro, thanks to his contact with my Master Julio Camacho regarding the passage of his ship cruise through Rio de Janeiro.
The initial idea was just an meeting with my Master, but Si Fu has been telling us insistently about when a situation is shown, one must seek to adhere to it, supporting on the potential and proposing something that brings even more benefit. In this way, my Master articulated with Grand Master Lee Moy Shan, a visit to the Copacabana School, where the Moy Lin Mah Family Ceremony took place .... And so I was able to live a learning Sunday ...


A Visita de Grão-mestre Lee Moy Shan: 
Uma história em 3 partes.

The Visit of Grand Master Lee Moy Shan:
A story in 3 parts.


Você pode me chamar de saudosista, mas ainda posso lembrar com carinho de acordar nas manhãs de Domingo na casa do meu avô (foto)com a música "Luzeiro" do Almir Sater tocando na TV.  Ainda sonolento, me revirava e podia enxergar meu avô se preparando na cozinha para sair. Todo o Domingo era o mesmo ritual: Ele colocava sua melhor roupa, sempre perdia um objeto e demorava a encontrar, colocava seu boné do Mighty Ducks , bebia "um dedo" de café e saia com sua bicicleta para feira. Voltava, almoçava o que tinha comprado, bebia mais um golé de café e ia para cozinha fazer pastéis ou biscoitos de polvilho...  

You can call me nostalgic, but I can still remember lovingly waking up on Sunday mornings at my grandfather's house (photo) with the beautiful song "Luzeiro" by Almir Sater playing on TV. Still sleepy, I would turn and could see my grandfather in the kitchen ready to leave. Every Sunday was the same ritual: He would put on his best clothes, always lose an object and loose some time to find it, put on his Mighty Ducks cap, drank a "finger" of coffee, and leave with his bicycle to the fair. He would come back, eat what he had bought, drank another cup of coffee, and go to the kitchen to make pastry or biscuits with sprinkles ...
(Com Si Fu aguardando o Si Baak Gung no porto) 
(With Si Fu waiting for  Si Baak Gung in the port)

Si Fu(foto)  anos depois me falaria algo respeito de como funciona um evento no Mo Lam. Eu consigo me lembrar apenas de fragmentos: "...O evento em si, é apenas uma justificativa para o que o antecede e o que vem depois... A sintonia com o evento acontece bem antes..." - Pensando em meu avô, percebo que sua ida a feira começava bem antes de estar lá de fato, e se perdurava depois da volta...
Naquela manhã de Domingo quando entrei no carro do meu To Dai Keith Markus, sabia que aquele evento havia começado bem antes para mim...

Si Fu (photo) years later would tell me something about how an event at Mo Lam works. I can only remember fragments: "... The event itself is only a justification for what precedes it and what comes next Then ... The tune with the event happens before it ... "- Thinking of my grandfather, I realize that when he used to go to the fair on Sundays , began before he actually was there, and would last after his return ...
That Sunday morning when I got into the car with my To Dai Keith Markus, I knew that that event had started long before for me ...


Depois de pegarmos Si Baak Gung no porto junto de sua esposa. Levamos os dois até o Núcleo Copacabana(foto). A Cerimônia já estava acontecendo, e ao entrar foi bom poder ver rostos conhecidos que não via a muito tempo e outros rostos conhecidos , os dos meus To Dai, que havia visto horas antes no Sábado..rs Naquele momento , enquanto os cumprimentava rapidamente, houve tempo de me pegar pensando em mim mesmo: Quantas e quantas vezes, amigos ou parentes não entendiam o que eu ia fazer Domingo de manhã todo arrumado ? - "Vou a uma Cerimônia!" - Eu dizia, mas isso só piorava seu entendimento.. De toda forma, me tocou observar que essa disponibilidade para acompanhar o Si Fu , está sendo passada adiante.
Porém, não foi apenas isso que me tocou quando chegamos, com a casa cheia, pude ver Si Baak Gung se emocionar ao ver o Mo Gu e principalmente a foto de seu Si Fu, Si Taai Gung Moy Yat. Fizemos uma reverência junto dele à foto. Me peguei pensando em meu próprio Si Fu naquele momento...

After we got Si Baak Gung in the port with his wife. We took them both to the Copacabana school (photo above). The Ceremony was already happening, and upon entering it was nice to be able to see familiar faces that I had not seen for a long time and other familiar faces, those of my To Dai, whom I had seen hours before on Saturday .. At that moment, as I greeted them quickly, There was time to find myself thinking about myself: How many times, friends or relatives did not understand what I was going to do during events on Sunday mornings with Kung Fu Family? - "I'm going to a Ceremony!" - I would say, but this only worsened their understanding .. Anyway, it was my turn to note that this willingness to follow Si Fu is being passed on.
However, it was not only this that touched me when we arrived, with the house full, I could see Si Baak Gung being moved to see the Mo Gu and especially the photo of his Si Fu, Si Taai Gung Moy Yat. We bowed next to him to the photo. I caught myself thinking of my own Si Fu at that moment ...

(Com Si Fu e sua filha mais nova em uma antiga residência em 2008)
(With Si Fu and Julia at one of his former houses n 2008)

Em breve teremos uma distância entre nós que jamais existiu .São 18 anos de convivência que precisarão se adaptar a uma nova realidade que já está se configurando. Apesar disso, me sinto razoavelmente satisfeito com a relação que construímos. E ao ver Si Baak Gung se emocionando naquele momento, refleti sobre o quanto é importante aproveitar esses momentos. Eles passam rápido, como agora, 18 anos anos se passaram num piscar de olhos, e precisarei me adaptar.

Soon we will have a distance between us that never existed.  18 years of relationship that will need to adapt to a new reality that is already being configured. Despite this, I feel fairly satisfied with the relationship we have built. And seeing Si Baak Gung getting emotional at that moment, I reflected on how important it is to take advantage of those moments. They pass quickly, as now, 18 years have passed in the blink of an eye, and I will need to adapt.
 O Grão-Mestre sentou-se e eu fui conduzido até o meu lugar. Havia sido convidado como "convidado de honra". Eu por alguns momentos fiquei olhando ao meu redor, e realmente o Núcleo Copacabana(foto) é uma fonte de inspiração enquanto Mo Gun para todos nós com um espaço separado por cômodos pensados pelos Líderes da Família Moy Lin Mah, que permite uma ambiência muito agradável.
Para mim em particular, esta visita serviu para repensar todo o meu planejamento em relação a mudança de imóvel do Mo Gun do Méier. Percebi como a Família Moy Lin Mah soube se adaptar tão bem ao que o bairro de Copacabana oferecia, e pensei melhor sobre a natureza do Méier. Talvez estivesse enxergando o Méier como Barra, e com isso, não estava vendo "O todo"... Foi uma grande lição.

The Grand Master sat down and I was led to my place. The Moy Lin Mah Family had been invited me as a guest of honor. I have been looking around for a few moments, and the really is that the Copacabana School (photo) is a source of inspiration as a "Mo Gun"(School) for all of us with a space separated by rooms thought by the Leaders of the Moy Lin Mah Family, which allows a very pleasant ambience .
For me in particular, this visit served to rethink all my planning regarding the relocation of the Meier School. I realized how the Moy Lin Mah Family was able to adapt so well to what the Copacabana neighborhood offered, and I thought better of the nature of Méier neighborhood. Maybe I was seeing Méier as Barra neighborhood, and with that, I was not seeing "The Whole" ... It was a great lesson.
Grão-Mestre Lee Moy Shan (foto) é uma pessoa maravilhosa. Seu carisma assim que pegou o microfone, tomou a atenção de todos rapidamente: "Vocês são muito sérios, vamos juntar mais perto!" - Disse ele em tom descontraído.
Com a tradução da To Dai Inez Viegas e da discípula Angela Carvalho , ambas da Família Moy Lin Mah, acompanhei com muita empolgação as palavras do Si baak Gung a respeito do Siu Nim Tau e dos Kuen Kuit.
Meu To Dai Renato Madeira, em seu Blog bilíngue "Discovering Ving Tsun", cita uma passagem sobre esse momento: " ...Ele contou que seu Si Fu, o Patriarca Moy Yat (1938 - 2001), falava que o Yat Ji Jung Choei (日字中拳) é um soco que vem do coração. O Grão-mestre disse que, inicialmente, entendeu que aquilo estava associado ao fato desse soco partir do centro do peito. Somente com o passar do tempo, ele compreendeu que, na verdade, aquela afirmação não se referia à forma de execução do soco, mas à vontade e energia de quem o está executando, ou seja, você deve desferir o soco com todo o seu coração. Ele acrescentou, ainda, que essa mesma postura deve ser adotada em tudo que você faz no seu cotidiano. Desde a relação com seus familiares, até sua atuação profissional, tudo deve ser feito de coração..."

Grand Master Lee Moy Shan (photo above) is a wonderful person. His charisma as he picked up the microphone, caught everyone's attention quickly: "You guys are very serious, let's get closer!" -  He said in a casual tone.
With the translation by the To Dai Inez Viegas and the disciple Angela Carvalho, both from the Moy Lin Mah Family, I followed with great excitement the words of the Si baak Gung regarding Siu Nim Tau and Kuen Kuit.
My To Dai Renato Madeira, in his bilingual Blog "Discovering Ving Tsun", cites a passage about this moment: "... He said that his Si Fu, Patriarch Moy Yat (1938 - 2001), said that the Yat Ji Jung Choei (日 字 中 拳) is a punch that comes from the heart. The Grand Master said that, initially, he understood that this was associated with the fact that this punch comes from the center of the chest. Only with the passing of time he realized that, in fact, that statement did not refer to the execution of the punch, but to the will and energy of whoever is executing it, that is, you must strike the punch with all your heart . He added that this same attitude must be adopted in everything you do in your daily life. From the relationship with your family, to your professional activity, everything must be done with heart. ... "

(Aqui recebo um afetuoso abraço do Si Baak Gung Lee Moy Shan)
(A warm hug of Si Baak Gung in me.)

Suas palavras me tocaram profundamente, porém, tão importante quanto, foi poder observar como um Grão-Mestre se portava, um Si Hing do meu Si Gung. Ele pôde cativar a todos , inclusive a mim, variando de temas profundos e falas descontraídas como quando explicou sobre como se usar "Hau Ma" com a esposa.rs E foi muito bom ver a generosidade com a qual compartilhou muito mais do que precisava conosco.

His words touched me deeply, but as important as it was to be able to observe how a Grand Master behaved, a Si Hing from my Si Gung,  was able to captivate everyone, including me, ranging from deep themes and relaxed speeches such as when he explained how to use "Hau Ma" with one´s wife. And it was great to see the generosity with which he shared much more than he needed with us .
Sua esposa(foto), também me chamou a atenção por todo o carinho com que recebia os cumprimentos de todos e por estar sintonizada com tudo que seu marido(foto) dizia. Mostrando que além de casados, ela realmente o conhece.
Si Baak Gung dedicou um tempo para agradecer aos líderes da Família Moy Lin Mah por recebê-lo e ao meu Si Fu.
Acompanhamos o casal até o porto onde nos despedimos. E me senti muito lisonjeado por ele me conhecer através do Blog : "Quando você escreve, você coloca o coração lá". -  Me tocou saber disso por se tratar de alguém que já trabalhava com Kung Fu quando meus pais ainda estavam se conhecendo.

His wife (photo above), also called my attention for all the affection with which she received the greetings from everyone and for being in tune with everything that his husband said. Showing that besides being married, she really knows him.
Si Baak Gung took time to thank the leaders of the Moy Lin Mah Family for welcoming him and also to my Si Fu.
We accompanied the couple to the port where we said goodbye. And I was very flattered that he knew me through this Blog: "When you write, you put your heart there." - He said. It touched me a lot because he is someone who was already working with Kung Fu when my parents were still getting to know each other.


(O carismático Si Baak Gung Lee Moy Shan )
(The charismatic Si Baak Gung Lee Moy Shan)

Sem dúvidas, um Domingo especial.

A very special Sunday...


The Disciple of Master Julio Camacho
Thiago Pereira "Moy Fat Lei"
moyfatlei.myvt@gmail.com